Post Exclusivo

Vinil Review
11 abril 2017

Cannonball Adderley Somethin’ Else – Uma Gravação Memorável

 

Antes de mais nada, gostaria de fazer um comentário a respeito de quatro monstros do jazz que, infelizmente, já foram para o andar de cima.

Hank Jones, pianista e compositor de jazz, foi considerado pelos críticos e músicos como eloqüente, lírico e impecável. Nascido em 1918, veio a falecer em 2009, aos 91 anos de idade. Foi homenageado com o prêmio lenda viva do jazz, pela Sociedade Americana de Compositores, Autores e Editores (ASCAP). Em 2008, recebeu a medalha nacional de artes. E, em 13 de abril de 2009, a Universidade de Hartford (Connecticut) o presenteou com um doutorado em reconhecimento às suas realizações.


Miles Davis, trompetista, nasceu em 1926 e faleceu em 1991, aos 65 anos de idade. Considerado um dos mais influentes músicos do século 20, Davis esteve na vanguarda de quase todos os desenvolvimentos do jazz, desde a segunda guerra mundial até a década de 90. Participou de várias gravações, do bebop, e das primeiras gravações do cool jazz. Fez parte do desenvolvimento do jazz fusion, que se originou do seu próprio trabalho, com outros músicos, no final da década de 60 e começo da década de 70.
Cannonball Adderley, saxofonista, cujo nome real era Julian Edwin Adderley, nasceu em 1928 e faleceu em 1975, aos 46 anos de idade. O que o destacou foi seu suingue e suas improvisações no sax alto. Seu talento chamou a atenção de Miles Davis, que o incluiu em seus sextetos. Os dois se apresentaram juntos de 1957 a 1959. No final deste período, Adderley participou do lendário disco de Davis, Kind of Blue.
Samuel Jones, contrabaixo, mais conhecido como Sam Jones, nasceu em 1924 e faleceu em 1981. Ficou famoso pelos seus trabalhos com Cannonball Adderley. Além disso, trabalhou vários anos com Oscar Peterson e também gravou com Bill Evans, na década de 50. Foi considerado um exímio contrabaixista pelos críticos.
Arthur Blakey, baterista, popularmente chamado de Art Blakey, nasceu em 1919 e faleceu em 1990, aos 71 anos de idade. Respeitado como um dos mais memoráveis bateristas da história, passou alguns anos em turnê, ao lado de vários artistas famosos como Charlie Parker e Sarah Vaughan. Toda essa introdução serviu como pano de fundo para apresentar um dos mais memoráveis LPs da história do Jazz.


É uma gravação em vinil, de uma qualidade inacreditável, considerando seus quase 60 anos de existência. Uma obra prima, onde não se pode destacar nenhum dos cinco músicos, tal a perfeita integração, coerência e musicalidade do grupo.
É difícil salientar uma faixa, porém a gravação que dá título ao disco, Somethin´ Else, realmente é especial em termos de arranjo e improvisação. O trompete e o sax soam com uma naturalidade tal que dão um banho de técnica de gravação. Não dá para acreditar que quase 60 anos serviram para mostrar porque o analógico voltou e continuará vivo para sempre. Este vinil foi comprado na loja Big Papa Records, com o Carlos, na Rua 7 de Abril, 154, na Galeria Nova Barão, Tel.: (11) 3237-0176, no centro de São Paulo.Um vinil original, como este, não é muito fácil de se achar. Porém, existem cópias e remasterizações japonesas, que podem ser adquiridas em vários sites a partir de US$ 40,00.

 

Ótimas audições e aquele abraço!

Esse artigo foi originalmente publicado no site www.byknirsch.com.br e gentilmente autorizada sua publicação no Vinil Review. Sua autoria é do

Flavio Adami:  flavioadema@uol.com.br

Album:
Cannonball Adderley
SOMETHIN´ELSE
Gravação 9 de março de 1958
Gravadora: LP 1958, Blue Note Records ST-81595
Local da Gravação: Van Gelder Studio, Englewood Cliffs, New Jersey
Masterização Rudy Van Gelder
Colaborador  : Flavio Adami

Comentários

Comentários

|