Post Exclusivo

Vinil Review
15 agosto 2017

Niels-Henning Ørsted Pedersen (1946 – 2005)

 

Um encontro de dois grandes contrabaixistas em São Paulo. NHOP e Luiz Chaves

 

 

 

 

 

 

 

Niels-Henning Ørsted Pedersen ou NHOP, como era chamado por seus amigos músicos, nasceu em Osted, na Dinamarca.  Niels era um virtuoso e tocava contrabaixo com a agilidade de um guitarrista.

“Niels não tocava contrabaixo.  Niels era o contrabaixo!  O instrumento fazia parte dele.” (Oscar Peterson)

Niels começou seus estudos tocando piano e aos 13 anos, passou a se dedicar ao contrabaixo.  Aos 15 anos de idade, já era suficientemente bom para acompanhar os principais músicos nas casas noturnas, trabalhando regularmente no Montmartre Jazzhus em Copenhague. O Montmartre era um local popular para os grandes músicos americanos que passavam pela Dinamarca e, fazendo parte da banda da casa, o jovem NHOP tocou com alguns de seus ídolos como Sonny Rollins, Dexter Gordon, Rahsaan Roland Kirk, Stan Getz e outros.  Mais tarde se apresentou também com Bill Evans e em 1965 foi convidado para fazer uma turnê com ele pela Europa.

Niels tinha todas as qualidades de um grande contrabaixista de jazz, produzindo um som muito rico, com a imaginação rítmica e melódica de um improvisador.  Era também professor e um músico ativo nos estúdios, trabalhando em cerca de 400 álbuns entre as décadas de 1960 e 1980.  Trabalhou com grandes nomes da música internacional, entre eles Oscar Peterson, Ray Brown, Joe Pass e Ulf Wakenius. Tive o grande prazer de conversar com Niels Pedersen e com Oscar Peterson durante o intervalo de uma apresentação deles em Seattle em 2003.  Não há palavras que descreveram a minha emoção.

 

Rosaura Paz

 Acompanhe a letra abaixo:

Letra – Lisa Freeman

Música – Niels Henning Ørsted Pedersen

 

Sometimes a thing can change your life forever

A someone you don’t know is at your door

Who bring into your life a little magic

And then become a someone you adore.

Hold on to each and every moment

Our Summers turn to Fall

And those we’ve loved have turned to memories

Who wouldn’t love and lose than not love at all

Remembering the times we spent together

I wonder why those moments had to end

Why everything we love is taken from us

Yet, somehow know we’d do it all again

I hold on to each precious moment

And then, when I recall

The joy that’s filled with every memory

I’d rather love and lose, than not know love at all.

SAMBA PETIT (Solo)

Oscar Peterson, Ray Brown e Niels
[:]

Comentários

Comentários

|