Post Exclusivo

Vinil Review
13 novembro 2017

O Jazz- Uma Música Livre.

Dos muitos descendentes do blues, o jazz é o representante da arte mais aprimorada em termos de evolução da música popular. Musicalmente é o estilo mais sofisticado, mais desafiador e, segundo alguns, o mais gratificante na música popular americana e mundial. Nos últimos tempos, é um tendência crescente de se combinar o jazz original com o rock elétrico deu origem a uma série de formas mistas, como: o rock-jazz, funk-jazz, jazz-rock-funk.

Como resultado, a distinção entre o músico de rock e de jazz, se é que ela existe, tornou-se menos definida e já não faz mais sentido quando no passado. Na história do jazz, a guitarra passou de um instrumento inexpressivo a um dos protagonistas de primeira linha. A carreira desse instrumento no jazz atravessou duas fases: primeiro, foi substituindo gradualmente o banjo da seção rítmica, depois passou a estabelecer-se como instrumento solo.

O fator fundamental para esse desenvolvimento, foi especialmente a introdução da amplificação e a música de instrumentistas como Django Reinhardt e Charlie Christian. Atualmente a guitarra, e também o violão, são instrumentos essenciais do jazz, tanto na seção rítmica como no papel do solista.

Fundamental para o jazz é o conceito de improviso.

Inúmeros instrumentistas de destaque provaram que a guitarra e o violão se prestam ao improviso rítmico, melódico e harmônico: ritmicamente, na escolha da acentuação, da ênfase e nas síncopes, melodicamente, na escolha de notas para o solo e harmonicamente, na escolha de acordes, no encadeamento e na substituição dos acordes.

 

Texto escrito nos anos 80, redigitado em word e atualizado para o Vinil Review.

Mauro Wermellinger

Minor Swing – Composição de Django Reinhardt .

David Grisman – Mandolin

Tony Rice – Violão Martin

Darol Anger – Violino

Todd Phillips – Mandolin

Bill Amatneek – Baixo Acústco

Comentários

Comentários

|